Novas extensões: medidas eficazes de proteção de marca online

  • by

Celebridades como Taylor Swift e grandes empresas como a Microsoft adquiriram nomes de domínio .porn, .adult ou .sucks para prevenir o cybersquatting.

Recentemente, novos domínios como .adult, .porn, .sucks ou .sexy passaram a estar disponíveis em regime de disponibilidade geral para registo pelo público. Por esta razão, muitas celebridades optaram por proteger a sua identidade online, de forma a combater a utilização nociva dos seus nomes com intuitos pejorativos.

São numerosos os casos de celebridades que expressaram a necessidade de proteger a sua identidade online através da compra de um domínio com o seu nome, evitando assim que terceiros possam fazer uma utilização indevida, ou fraudulenta, do seu nome e/ou marca. A cantora Taylor Swift registou os domínio taylorswift.porn e taylorswift.adult. Há alguns meses, o ator Ashton Kutcher registou todos os domínios com o nome da sua filha para proteger a sua identidade na web. Da mesma forma, várias multinacionais têm registado os seus nomes de domínio com as extensões já referidas com o mesmo objetivo de proteção de marca. Este é, nomeadamente, o caso da Microsoft, que registou os nomes de domínios office.adult e office.porn. Além das extensões .adult e .porn, as marcas estão começando a registar o domínio .sucks para evitar publicidade negativa.

A reação de marcas e celebridades no registo desses nomes de domínio é explicado pelo serviço de proteção de marca criado pela ICANN (Agência Internacional para a atribuição de nomes de domínio). Graças ao serviço Trademark Clearinghouse, um seleto grupo de indivíduos, empresas, autoridades públicas, incluindo marcas comerciais, têm prioridade no registro de novas extensões (novas gTLDs) durante o período chamado de fase “Sunrise”.

O que é o cybersquatting? Acontece quando uma terceira pessoa, ou entidade, regista, ilegalmente, o nome de domínio de uma marca registada. Estas pessoas, ou entidades, registam domínios com nomes de marcas para obter tráfego para seus próprios sites e tirar proveito das receitas publicitárias. Outra prática comum é registar estes domínios, com o objetivo de revendê-los, mais tarde, às próprias marcas a preços inflacionados.

A Amen.pt apoia os seus clientes neste processo de proteção de marca, incluindo o registo de domínios .porn, .sucks ou .adult através do serviço de proteção de marca online (OBP – Online Brand Protection). Se o cliente é vítima de cybersquatting, pode aproveitar o nosso serviço de recuperação de domínio que lhe permite recuperar o seu domínio e fazer uso legítimo da sua marca registada.

Para mais informações sobre o nosso serviço de proteção de marca, contacte-nos.

Deixe uma resposta